Drymaria cordata
Drymaria cordata
Cordão-de-sapo, Jaboticaá, Erv [...]

A presença dela no solo indica muita umidade no solo. [...]


Calycophyllum spruceanum - Pau-mulato, pau-mulato-da-várzea, mulateiro, mulateiro-da-várzea, escorrega-macaco, pau-marfim, capirona.
Nome científico
Calycophyllum spruceanum
Pau-mulato, pau-mulato-da-várzea, mulateiro, mulateiro-da-várzea, escorrega-macaco, pau-marfim, capirona.
Murraya paniculata - Murta
Nome científico
Murraya paniculata
Murta
Spondias dulcis - Cajá, Cajá-manga, Cajámanga, Cajarana, Taberebá-do-sertão, Cajá-anão, Ambarella
Nome científico
Spondias dulcis
Cajá, Cajá-manga, Cajámanga, Cajarana, Taberebá-do-sertão, Cajá-anão, Ambarella
Spondias mombin - Cajá-mirim, Acaíba, Taperebá, Acajá, Acajaíba, Cajá-pequeno, Cajazeira, Cajazeiro, Serigüela, Taperibá
Nome científico
Spondias mombin
Cajá-mirim, Acaíba, Taperebá, Acajá, Acajaíba, Cajá-pequeno, Cajazeira, Cajazeiro, Serigüela, Taperibá
Petroselinum crispum - Salsa, salsinha, salsa-crespa, salsa-de-cheiro, salsa-hortense
Nome científico
Petroselinum crispum
Salsa, salsinha, salsa-crespa, salsa-de-cheiro, salsa-hortense
Minasia alpestris -
Nome científico
Minasia alpestris
Eruca vesicaria - Rúcula
Nome científico
Eruca vesicaria
Rúcula
Portulaca oleracea - Beldroega, Berdoega, Salada-de-negro, Caaponga, Ora-pro-nobis, Porcelana, Onze-horas
Nome científico
Portulaca oleracea
Beldroega, Berdoega, Salada-de-negro, Caaponga, Ora-pro-nobis, Porcelana, Onze-horas
Ixora coccinea - Ixoria, Ixória
Nome científico
Ixora coccinea
Ixoria, Ixória
Mammillaria geminispina <em>subsp.</em> geminispina - Mamilaria
Nome científico
Mammillaria geminispina subsp. geminispina
Mamilaria
Cuscuta polimorfa
Cuscuta polimorfa
Macarrão, Fios-de-ovos, Cabelo [...]

Um vegetal parasita muito difícil de extirpar, pois é sem folhas, sem clorofila e sem raízes.

É constituído apenas dos fios amarelos dos quais saem pequenas estruturas que penetram na planta hospedeira para retirar a seiva.

"Esse parasita, um problema grave nos EUA, chegou ao Brasil com sementes de alfafa", conta o professor de Biologia e Manejo de Plantas Daninhas da Esalq/USP, Ricardo Victorio Filho.

Ele explica que o parasita tem predileção por algumas plantas, e na cidade de São Paulo, por exemplo, costuma proliferar na coroa-de-cristo, parasitando ainda hibiscos e resedá.

O combate deve ser feito, sempre que possível, extirpando-se a planta parasitada junto com o parasita, substituindo-a por uma muda que deve ser acompanhada, catando-se manualmente a cuscuta assim que aparecer, para que não prolifere.

Sendo possível, pode-se retirar o parasita da planta, mas é trabalhoso e serviço a longo prazo, para evitar a reinfestação.[1] [...]

Pachira aquatica
Pachira aquatica
Munguba, Castanheira, Falso-ca [...]

É muito utilizada em arborização urbana por conta de suas flores perfumadas e belas, além de proporcionar excelente área de sombra.

Espontaneamente, a árvore vegeta em locais úmidos, nas margens e nos barrancos de rios e lagoas, ou em terrenos alagadiços e brejosos, de onde provém a aquática do seu nome científico.

No entanto, a monguba adapta-se facilmente a condições bem diversas de solo e clima.

Em geral, a monguba é árvore de tamanho variável, bastante frondosa, possuindo uma copa densa e arredondada.

Por tais qualidades e pela beleza e exotismo de suas grandes flores amarelas de pontas avermelhadas, é árvore de reputada função ornamental.

A monguba é, inclusive, bastante utilizada na arborização das ruas, provando sua adaptabilidade e sua capacidade de medrar até mesmo em terrenos secos (Cronquist 1981).

Embora seja espécie muita conhecida, adaptável ao cultivo, de frutos saborosos e de variadas utilidades, a monguba é pouco utilizada pelos brasileiros, não sempre reconhecida como espécie de importância para a exploração econômica, o que é um equívoco.

As belas monguba produzem anualmente grandes quantidades de frutos, disputados avidamente pela fauna. Deles, aproveita-se às sementes.

Sendo da mesma família das paineiras, as sementes da monguba, que permanecem guardadas em grandes e compridas cápsulas de coloração castanho-avermelhadas e de aparência aveludada, ficam envoltas em meio a uma paina branca.

As castanhas são comestíveis e podem ser consumidas cruas, assadas sobre a brasa, fritas em óleo, cozidas com sal ou torradas, produzem bebidas como o café.[2] [...]

Schizolobium parahyba
Schizolobium parahyba
Guapuruvu, Ficheira, Pataqueir [...]

O guapuruvu (Schizolobium parahyba) é uma árvore da família das fabáceas, notável pela sua velocidade de crescimento que pode atingir 3 metros por ano.

Foi inicialmente descrita por J. M. C. Vellozo em 1825 sob o nome de Cassia parahyba.

Guapuruvu é o simbolo da vale do Paraiba.[3]

A árvore atinge rapidamente boa altura, porém tem galhos frágeis que se quebram facilmente em ventanias. Em geral a árvore adulta morre após algumas dezenas de anos (40 a 50 anos).[2]

Quando em condições ambientais e de cultivo adequada, o guapuruvu é uma das espécies de mais rápido crescimento nas regiões Sul e Sudeste do Brasil, impressionando pelo crescimento inicial e pela forma das plantas.[4] [...]

Bombax ceiba
Bombax ceiba
Paineira-vermelha, Paineira-ve [...]

É uma espécie exótica, nativa da Índia, porém muito disseminada por aqui no Brasil.[6]

Muito utilizada no paisagismo urbano devido sua beleza, em julho fica totalmente coberta de flores vermelho vivo.

As árvores do gênero Bombax são das árvores maiores que se encontram nas respectivas regiões, alcançando de 30 a 40 metros de altura com troncos de 3 metros de diâmetro.

São as plantas das quais se alimentam as larvas de algumas espécies de Lepidoptera. A espécie Bucculatrix crateracma, por exemplo, alimenta-se exclusivamente das folhas de Bombax ceiba.[2]



 [...]

Plectranthus neochilus
Plectranthus neochilus
Boldo-japonês, Boldo-gambá, Bo [...]

É uma erva aromática denominada boldo ou "boldo-gambá" e empregada no tratamento de insuficiência hepática e dispepsia na medicina popular. [...]

Clique nas "etiquetas" abaixo para pesquisar por plantas que tenham estas características já identificadas.

5-deoxi-ingenol [1] 7 - metoxi aromadendrina [1] Abrina [1] Acheflan [1] ácido oxálico [1] Acúleos [1] Adenosina [1] Adoçantes [1] Aedes aegypti [1] Agrotóxicos [1] Alcalóides [1] Alelopática [2] Algas [2] Aliína [1] Alimentação Animal [33] Alimentação Humana [52] Alucinógenas [7] Alzheimer [1] Ameaçadas de extinção [110] Antibacteriana [1] Anticolesterol [1] Anti-idade [1] Antimicrobiano [1] Anti-oxidantes [15] Anti-virótica [2] Anuais [5] Apícola [8] Aquário [2] Aquarismo [1] Aquáticas [7] Arborização Urbana [10] Arbustos [76] Aroma das flores ruim [1] Aromáticas [12] Artesanato [1] Árvores [384] Asma [1] Atrai moscas [1] aucubina [1] Bactericidas [1] Baunilha [1] Beija-flores [1] Beira de praia [2] Benzeno [2] Bíblica [3] Bienal [2] Biodiesel [1] Bioindicadoras [7] Bioma Caatinga [3] Bioma Cerrado [3] Biopirateadas [3] Bissexuada [1] Bonsai [8] Bromélias [92] Bromelina [1] Brotos [1] Brucina [1] Bulbos [4] Cactos [11] Calçadas [2] Calmante [1] Campos Rupestres [1] Campos rupestres [1] canferol [1] Capim [5] caramboxina [1] Cardiotônico [1] Carniça [1] Carnívoras [2] Carpintaria [1] Carvão [1] Cascas [1] CBD - canabidiol [1] Cerca-viva [4] Cerrado [1] Cicatrizante [8] cinarina [1] cinaropicrina [1] Colubrina [1] Comestíveis [84] Conservas [3] Construção civil [1] Controle biológico [1] Controle da erosão [2] Cormo [1] Cosméticos [1] Crescimento lento [6] Crescimento rápido [9] Decídua [1] Decoração de Interiores [17] Dengue [5] Depressão [1] Depurativo do sangue [1] Despoluidoras [5] Destaque [1] DMT [2] Drupas [1] Endêmica [2] Epífitas [9] ergina [1] Ervas [78] Esotéricas [6] Essências [1] Estabilização de dunas [1] Esteviol [1] Estricnina [1] Exóticas [19] Feng Shui [1] Fertilidade masculina [1] Fibras [2] Ficina [1] Filtragem de água [11] Fitorremediação [9] Fixadoras de areia [1] Fixadoras de Nitrogênio [5] Flavonoides [3] Floculantes [1] Flores [83] Flores comestíveis [23] Folha verde-claro [4] Folha verde-escuro [8] Folhas caducas [1] Folhas permanentes [1] Forbol [2] Formaldeídos [2] Forrações [1] Forrageiras [6] Frutas [52] Fruto alaranjado (maduro) [1] Fruto amarelo (maduro) [6] Fruto verde (imaturo) [4] Fruto vermelho (madura) [2] Fungicida [1] genkwanina [1] Germicida [1] Gomorresinas [1] Grama [4] Heliófita [1] Herbácea [5] Hermafrodita [2] Herpes [2] Híbrida [1] Hipertensão [1] Hipoglicemiante [1] Hortaliça [2] Hortaliça arbórea [1] Hortas [4] Imunomodulador [1] Incensos [1] Índigo [1] Inseticidas [12] Interior [3] Inulina [1] Invasoras [25] isoquercitrina [1] Japão [1] Jard. Meia sombra [88] Jard. Sol pleno [122] Jard. Sombra [6] Khellin [1] Labiatas [2] Lactucina [1] larvicida [1] Lenha [2] Licopeno [1] Lignina [1] LSA [1] luteína [1] Macrófitas [3] Madeira nobre [1] Madeireiras [283] Mangue [1] Mata Atlântica [1] Mata Ciliar [1] Medicinais [735] Melíferas [17] Monóicas [1] Musgos [1] naringenina [1] NASA [1] Nastismo [1] Nativas do Brasil [46] Necessita de validação do NC [1] Neriantina [1] Nootrópico [1] Notáveis [3] Nova espécie [2] Oleaginosas [8] Oleandrina [1] Óleo hidroxilado [1] Ornamentais [18] Orquídeas [434] Paisagístico [16] Palmeiras [6] PANCs - Plantas Alimentícias Não Con [11] Parasita [1] Pareidolia [2] Parkinson [1] Passiflorina [1] Pectina [1] Pega de estaca na água [1] Pequenas [1] Perene [27] Perfumadas [2] Perfume no fim de tarde [1] Pimentas [3] pinocembrina [1] Pioneira [1] Pivotante [4] Pode congelar [2] Polinização cruzada [2] Porte baixo [1] Potássio [1] Produção de Celulose [2] Própolis vermelha [1] Protetoras [1] Purificadoras de Ar [9] Queda de cabelos [1] Quercetina [1] quercetina [1] Radioativas [1] Raiz pivotante [2] Raízes - Tubérculos [11] ramnocitrina [1] Rara [3] Rasteira [3] Rede Solidária de Alimentos [13] Reflorestamento [4] Repelentes [4] Resistente [1] Resistente a herbicidas [1] Resistente a poluição urbana [5] Resistente à seca [4] Resistente ao frio [5] Restinga [2] Rizomas [3] Ruderal [3] Rupícola [2] Sagradas [14] sakuranetina [1] Samambaias [9] Saxícola [1] Seiva mancha a roupa [1] Sem clorofila [1] Sem Sementes [1] Sífilis [1] Sismonastia [1] Sombra [2] spilantol [1] Suculentas [24] SUS [1] Taninos [1] taxifolina [1] Temperos [12] Terrestre [5] THC [1] Tintórias [6] Tolerante à salinidade [16] Tolerante à seca [8] Tolerante ao frio [10] Touceiras [1] Tóxicas [48] Transgênicas [1] Trepadeiras [19] Tuinona [1] Tundra [1] Urushiol [1] Usada em saladas [2] Vanilina [1] Variegata [1] Venenosa [1] Vermelhas [1] Vimblastina [2] Vomicina [1] warifteína [1] wisterina [1] Xerófita [1] Xeronina [1] zeaxantina [1] Zinco [1]


Crassula ovata
Crassula ovata
Planta-jade, Bálsamo-de-jardim [...]

É uma das plantas mais cultivadas entre as suculentas.

Não possui qualidades medicinais comprovadas, mas é muito confundida com uma planta medicinal, chamada Bálsamo (Sedum dendroideum).
 [...]
Mimosa scabrella
Mimosa scabrella
Bracatinga, Aabracaatinga; abr [...]

Ao chegarem à região de Curitiba, capital paranaense, os primeiros colonizadores se depararam com vastas áreas ocupadas por uma árvore esguia e alta, que brotava naturalmente do solo e cobria harmonicamente o relevo montanhoso da região.

Aos poucos, os colonizadores descobriram que a árvore, conhecida como Bracatinga (Mimosa scabrella), tinha como umas das suas principais virtudes oferecer excelente lenha para o aquecimento dos lares nos rigorosos invernos da região.

Aquilo que foi atestado, na prática, pelos colonizadores do Paraná hoje se comprova cientificamente: a Bracatinga abriga, no seu fino caule, uma verdadeira “usina térmica”.

A Bracatinga apresenta uma capacidade de armazenamento da energia solar superior à de outras árvores, como Pinus e Eucalipto. [...]
Tabebuia heptaphylla
Tabebuia heptaphylla
Ipê roxo, Ipê rosa, Abroé, Gra [...]

Popularmente conhecida como ipê-roxo, é uma das espécies que vêm sendo estudadas por ser de alto valor econômico, considerando-se as finalidades de sua madeira e extrativos foliares, e pela diminuição preocupante do número de indivíduos que ainda são encontrados em áreas de ocorrência natural (ETTORI, 1996). [...]
Campomanesia phaea
Campomanesia phaea
Cambuci, cambucizeiro [...]

 [...]
Eugenia uvalha
Eugenia uvalha
Uvaia [...]

 [...]
Triplaris americana
Triplaris americana
Pau-de-formiga, Pau-de-novato, [...]

Devido à sua copa colunar e beleza no florescimento e frutificação, é amplamente usada no paisagismo, sendo útil para arborização de ruas estreitas desprovidas de rede elétrica.

É muito útil também para recuperação de florestas ciliares.

O nome popular desta espécie é proveniente de sua associação com fomigas no ambiente natural, que constroem seus ninhos no tronco oco, protegendo assim as plantas de outros predadores. [...]
Plinia cauliflora
Plinia cauliflora
Jabuticaba, Jaboticaba, Jabuti [...]

 [...]
Eugenia uniflora
Eugenia uniflora
Pitanga, Ibipitanga, Pitanga-c [...]

Ótima para ser saboreada após as refeições, a pitanga tem um sabor doce, com "fim de boca" levemente amargo, principalmente nos frutos não tão maduros.

A fruta é consumida naturalmente, colhida do pé, ou sob a forma de doces, geléias, sorvetes, ou utilizada em caipifrutas de pitanga, a chamada de "caipitanga".

Da pitanga se fazem ótimos remédios para diarréia de crianças, garrafadas e licores estimulantes. [...]
Dillenia indica
Dillenia indica
Maçã-de-elefante, Árvore-do-di [...]

No caso da Dillenia as extremidades da flor se fecham sobre a mesma para formação do fruto, sendo assim, qualquer objeto que ficar preso à flor, ficará dentro do fruto.

Diz a lenda que D. Pedro colocou várias moedas (patacas) nas flores, depois, quando o fruto estava formado, mandou para Portugal com o seguinte recado: "Nesta terra o dinheiro nasce até nas árvores".

As patacas foram as moedas que circularam no Brasil de 1695 a 1834.

O extrato de folha de D. indica poderia ser útil para o controle do diabetes mellitus e de outras anormalidades associadas a essa disfunção metabólica. [...]
Billbergia nutans
Billbergia nutans
Bilbérgia [...]

Billbergia nutans é uma espécie considerada muito frequente em altitudes mais elevadas (acima de 800m), nas regiões de Floresta Ombrófila Mista até a região de campos gerais.

Ocorre de forma relativamente mais rara até 0m de altitude, em geral como epífito, mas pode desenvolver-se sobre rochas ou diretamente no solo.

Pode formar grandes adensamentos populacionais ou crescer individulamente.

Excelente espécie ornamental, muito rústica e prolífera, com flores muito chamativas, apesar de efêmeras, e atraem beija-flores.[4] [...]


Tabebuia heptaphylla
Tabebuia heptaphylla
Ipê roxo, Ipê rosa, Abroé, Gra [...]

Popularmente conhecida como ipê-roxo, é uma das espécies que vêm sendo estudadas por ser de alto valor econômico, considerando-se as finalidades de sua madeira e extrativos foliares, e pela diminuição preocupante do número de indivíduos que ainda são encontrados em áreas de ocorrência natural (ETTORI, 1996). [...]
Azadirachta indica
Azadirachta indica
Nim, Neen, Amargosa [...]

Utilizada para controle biológico de pragas.

Os inseticidas naturais de nim são biodegradáveis, portanto não deixam resíduos tóxicos nem contaminam o ambiente.

Possuem ação repelente, anti-alimentar, reguladora de crescimento e inseticida, além de acaricida, fungicida e nematicida.

Por sua natureza, os extratos de nim são mundialmente aprovados para uso em cultivos orgânicos. [...]
Ochroma pyramidale
Ochroma pyramidale
Pau-de-balsa, Pau-de-jangada,  [...]

A mais leve madeira de uso comercial que existe no mundo é a produzida pelo pau-de-balsa, também chamado pau-de-jangada ou pata-de-lebre.

Os tipos mais leves pesam cerca de 48kg/m³. Isto equivale a um terço do peso da cortiça. As espécies mais pesadas de pau-de-balsa pesam cerca de 320kg/m³. A balsa é leve porque o ar ocupa suas células quando a madeira seca.

A balsa tem um brilho e uma textura acetinados. A madeira vai do branco ao creme levemente rosado nas partes centrais do tronco. É utilizada para fazer aeromodelos e alguns tipos de embarcações, carrocerias de caminhões, barcos salva-vidas e bóias.

Também é usada como material isolante nas incubadoras e em carros e caminhões frigoríficos. [...]
Calophyllum brasiliense
Calophyllum brasiliense
Guanandi, Jacareúba, Ganandi,  [...]

A espécie vem sendo plantada com muito sucesso no Estado de São Paulo; como árvore nativa brasileira, já está reaproximando a fauna local, como demonstra os ninhos de pássaros que já escolheram árvore para nidificar.

O retorno financeiro de sua cultura é muito alto, facilmente percebido quando se sabe que, apesar de ter custos de plantio semelhantes ao do pinus e do eucalipto para corte, seu preço ultrapassa facilmente dezenas de vezes o destas madeiras de árvores não brasileiras.

O Guanandi também concorre em velocidade de crescimento, provavelmente, com a badalada Teca Indiana. Ao contrário desta última, O Guanandi aceita o clima mais rigoroso do sul e sudeste brasileiros, bem como se adapta muito bem à declividade.

O uso sustentável de sua madeira é considerado como a melhor alternativa ao uso predatório do Mogno e do Cedro; é considerada tão bonita e trabalhável quanto estas, sendo resistente e imputrecível.

As árvores plantadas de Guanandi não sofrem ataques de pragas - como a lagarta Hypsipyla grandella Zeller que ataca ao mogno e ao Cedro.

O plantio de cada árvore de Guanandi é capaz de economizar o corte predatório de muitas árvores amazônicas: o corte de um simples Mogno na amazônia, por exemplo, pode provocar a derrubada de até 30 outras árvores - dado que os Mognos, ao contrário dos Guanandis, não ocorrem em ajuntamentos.

Esta substituição provoca um efeito fantástico sobre a diminuição do aquecimento global a longo prazo, uma vez que compradores europeus, japoneses e americanos já começam a aceitar pagar mais caro por madeira de reflorestamento.

Além disto, o sistema radicular do Guanandi levanta o lençol freático, trazendo a água subterrânea para a superfície; ou seja, ele recupera e fertiliza os solos onde é plantado, ao contrário de algumas outras espécies muito utilizadas.

A madeira de Guanandi promete ser uma das mais importantes commodities [...]
Cocos nucifera
Cocos nucifera
Coco, Coqueiro, Coco-da-bahia, [...]

Trazido pelos portugueses em 1553, proveniente do Cabo Verde, teve seu plantio inicial no estado da Bahia, espalhando-se posteriormente pelo litoral nordestino.

Com a chegada dos escravos de Moçambique, onde o aproveitamento do leite de coco e a feitura de pratos com o fruto já eram práticas comuns, é que se iniciou a criação dos pratos da tradicional culinária afro-brasileira.

É a única espécie classificada no gênero Cocos.

Em algumas partes do mundo, macacos treinados são usados na colheita do coco. Escolas de treinamentos para macacos ainda existem no sul da Tailândia. Todos os anos são realizadas competições para identificar o mais rápido colhedor.[6]

Atualmente utiliza-se a fibra da casca do fruto para obtenção de vasos e substratos para plantas, em substituição à fibra de xaxim. [...]
Cybistax antisyphilitica
Cybistax antisyphilitica
Ipê-verde [...]

Estudos científicos comprovaram a eficácia do extrato de ipê-verde contra a larva do mosquito Aedes aegypti, que é o principal transmissor da dengue.

Árvore medicinal, excelente para plantio em calçadas ou recuperação de áreas degradadas, praças, parques, jardins, avenidas e ruas, principalmente as estreitas. [...]
Plinia cauliflora
Plinia cauliflora
Jabuticaba, Jaboticaba, Jabuti [...]

 [...]
Triticum
Triticum
Trigo [...]

O trigo (Triticum spp.) é uma gramínea que é cultivada em todo mundo.

É o cereal mais importante na alimentação humana, nas regiões de clima temperado.

O arroz, seu mais próximo concorrente, e o milho predominam nas regiões tropicais.

Globalmente, é a segunda maior cultura de cereais, a seguir ao milho; o terceiro é o arroz.

O grão de trigo é um alimento básico usado para fazer farinha e, com esta, o pão, na alimentação dos animais domésticos e como um ingrediente na fabricação de cerveja.

O trigo é plantado também estritamente como uma forragem para animais domésticos, como o feno. [...]
Juglans regia
Juglans regia
Nogueira, Noz, Noz-caucasiana, [...]

Nozes são utilizadas em várias receitas culinárias, principalmente na época de Natal.

Atualmente são muitas as "cultivares" desenvolvidas pela tecnologia genética, exatamente para aclimatá-las a outros ambientes.[6] [...]
Eugenia uniflora
Eugenia uniflora
Pitanga, Ibipitanga, Pitanga-c [...]

Ótima para ser saboreada após as refeições, a pitanga tem um sabor doce, com "fim de boca" levemente amargo, principalmente nos frutos não tão maduros.

A fruta é consumida naturalmente, colhida do pé, ou sob a forma de doces, geléias, sorvetes, ou utilizada em caipifrutas de pitanga, a chamada de "caipitanga".

Da pitanga se fazem ótimos remédios para diarréia de crianças, garrafadas e licores estimulantes. [...]


Ananas comosus
Ananas comosus
Abacaxi [...]

O abacaxi é um fruto-símbolo de regiões tropicais e subtropicais, de grande aceitação em todo o mundo, quer ao natural, quer industrializado: agrada aos olhos, ao paladar e ao olfato.

Por essas razões e por ter uma "coroa" , cabe-lhe por vezes o codnome de "rei dos frutos", que lhe foi dado, logo após seu descobrimento, pelos portugueses.

Os abacaxizeiros cultivados pertencem à espécie Ananas comosus, que compreende muitas variedades frutíferas. Há também várias espécies selvagens, pertencentes ao mesmo gênero e grupo.[5]

No século 18, abacaxis eram tão considerados como símbolo de status que as pessoas andavam carregando-os na rua como forma de ostentação, e você poderia até mesmo alugar um por uma noite para levá-lo a uma festa.[4]

O abacaxi é considerado o símbolo da hospitalidade. Para os povos antigos, colocar um abacaxi do lado de fora das casas é sinal de que visitantes são bem vindos.

O fruto, quando maduro, tem o sabor bastante ácido e muitas vezes adocicado.

Em culinária pode ser utilizado como um poderoso amaciante de carnes.

Habitualmente usa-se a polpa da fruta, mas seu miolo e as cascas podem ser aferventadas para produção de sucos.[5]

A bromelina é um anti inflamatório natural.

Segundo o médico americano, Dr. Andrew Weil, a bromelina é muito eficaz no tratamento de contusões, entorses e distensões, reduzindo o inchaço, sensibilidade e dor.

Este potente efeito anti inflamatório também pode ajudar a aliviar os sintomas da artrite reumatoide e reduz o inchaço pós-operatório.

Além disso, a bromelaína contida no abacaxi pode aliviar a indigestão.[9] [...]
Persea americana
Persea americana
Abacate, abacateiro [...]

Seus frutos são ótimos para saladas, sorvetes e vitaminas.

Além disso, possui uma importante gordura, chamado de gordura HDL (ou bom colesterol) que ajuda a desobstruir as artérias e veias de nosso corpo.

Das suas folhas podemos fazer chá para aumento da freqüência (aumento no total diário) de micções.

O abacate contém uma grande quantidade de gordura vegetal, principalmente ácido graxo monosaturado, cuja ação é de eliminar as poliproteínas de alta densidade, que têm o efeito de manter e acumular o colesterol.

Por ser rico neste tipo de gordura HDL, o abacate tem ação anticolesterol, promovendo a limpeza do sangue.

É ainda uma fonte de proteína vegetal e um alimento construtor que participa na formação das estruturas do corpo (músculos, osso, sangue, órgãos e vísceras), portanto ajuda no crescimento e desenvolvimento corporal.

A cor amarelo-esverdeado da fruta deve-se à presença de clorofila e e carotenóides (pró-vitamina A e antioxidante).

Exerce ação sobre o fígado, rins, aparelho digestivo.

Ajuda a combater os transtornos do reumatismo, artrite e gota. [...]

  

Até o presente momento não recebi nenhuma pesquisa afirmando efeitos negativos sobre estas orientações.

Espero
que o calendário lunar
ajude no costume
de contemplar
a Lua,
marcando
através de seus ciclos,
etapas de plantio,
cultivo
e colheita.



Lua NOVA :: Semeadura / plantio - tudo o que cresce acima da terra. O final da lua nova é propício para semeadura, plantio e colheita de todas as plantas medicinais. PODAS gerais.

Lua CRESCENTE :: A seiva sobe para as folhas. Plantio de tudo o que cresce acima da terra (ex: tomate, laranja, alface, milho, soja etc). Colheita de folhas (medicinais) e, pouco antes da lua cheia, colheita de cereais.

Lua CHEIA :: Seiva nas folhas - maior luminosidade lunar. Deve-se evitar mexer muito nas plantas, limitando-se a retirar folhas secas e galhos. Perto da lua cheia, as plantas estão com seus aromas potencializados, atraindo animais.

Lua MINGUANTE :: A seiva desce para as raízes. Ideal para plantio / semeadura de tudo o que cresce abaixo da terra (ex: alho, cenoura, cebola, mandioca, batata, rabanete etc). Podas / corte de árvores e bambus. Pouco antes da lua nova, ideal para colheita de sementes. Dê preferência para intercalar adubações de 15 em 15 dias, sendo uma durante o último quarto minguante.


- www.TudoSobrePlantas.com.br -

Últimos comentários publicados nas fichas de espécies do Banco de Plantas Notáveis:

Solanum sessiliflorum
João Marcos Carneiro Aguiar / SP (22/08/2016 11:44)
Bom dia ! Tenho mudas de Maná cubil , logo terei mudas , posso fornecer ....
[ acessar FICHA: Solanum sessiliflorum ]
Costus spicatus
Alessandro / PR (21/08/2016 18:15)
Olá,
aqui na minha região é conhecida como Caninha do Brejo. Nasce naturalmente e com muita facilidade na nossa chácara. As pessoas mais velhas usam como diurético e pra quem tem problemas nos rins. Algumas pessoas também disseram que da sua flor pode-se fazer xarope eficaz contra dor na garganta.
[ acessar FICHA: Costus spicatus ]
Spondias dulcis
Anderson Porto / RJ (21/08/2016 05:30)
Os frutos, mesmo conservados em geladeira, estragam rapidamente pois amadurecem muito rápido. Portanto o ideal é que os frutos sejam colhidos *de vez*, semi maduros.


[ acessar FICHA: Spondias dulcis ]
Argyreia nervosa
Willian Santos / SP (12/08/2016 16:57)
Boa tarde,
Estou planejando um bonsai dessa planta, por ser muito grande. Gostaria de saber qual seria o melhor adubo.
Possuo outras plantas também que gostaria de praticar estaquia. Minha duvida é se posso colocar as estacas num pote d*agua e esperar aparecer as raízes.

Obrigado!
[ acessar FICHA: Argyreia nervosa ]
Crescentia cujete
Anderson Porto / RJ (11/08/2016 16:57)
Oi Eustáquio, a árvore do coité necessita de muito sol para produzir frutos. Aprecia climas quentes, chuvosos e gosta de solo com barro vermelho.
[ acessar FICHA: Crescentia cujete ]
Crescentia cujete
EUSTAQUIUO SOUZA / MG (11/08/2016 15:57)
Tenho um pé de Coité, com mais ou menos 15 anos, mas nunca produziu, nem mesmo nunca deu flor. Alguém poderia me orientar no sentido de mudar essa situação?
[ acessar FICHA: Crescentia cujete ]
Ipomoea batatas
Anderson Porto / RJ (05/08/2016 18:28)
As ramas quando crescem podem ser parcialmente enterradas. Onde você enterrar a rama irá brotar raízes e nascer... batatas!
[ acessar FICHA: Ipomoea batatas ]
Lactuca canadensis
Anderson Porto / RJ (05/08/2016 17:08)
Aparentemente esta espécie, chamada popularmente de *almeirão-roxo*, precisa de mais estudos para validar seu nome científico.
[ acessar FICHA: Lactuca canadensis ]
Lactuca canadensis
Anderson Porto / RJ (05/08/2016 01:19)
Suas flores são comestíveis e podem ser usadas tanto para ornamentação de pratos quanto para o consumo.
[ acessar FICHA: Lactuca canadensis ]
Gossypium hirsutum
Anderson Porto / RJ (05/08/2016 00:26)
Pode atuar como invasora em outras culturas anuais.
[ acessar FICHA: Gossypium hirsutum ]
Carica papaya
Anderson Porto / RJ (03/08/2016 17:13)
Muda de mamoeiro, quando passa de aproximadamente de 15 cm, não deve ser transplantada, pois a espécie possui raiz pivotante e corre-se o risco de partí-la, atrapalhando o desenvolvimento.

Mudas já muito crescidas também são ruins para plantio, pois a raiz tente a enovelar-se no fundo do vaso ou saco. A muda demora, neste caso, muito para crescer e atingir a maturidade.
[ acessar FICHA: Carica papaya ]
Dracaena fragrans
Anderson Porto / RJ (02/08/2016 19:36)
Leva cerca de 5 anos para começar a florescer a partir de mudas de estacas plantadas em vaso, à meia-sombra.
[ acessar FICHA: Dracaena fragrans ]
Pereskia aculeata
Ana Lourenço da Rosa / TO (01/08/2016 14:05)
Quem procura sempre acha... e em se tratando de buscas de plantas para enriquecer a alimentação de um modo geral, eis que precisa-se voltar a nossa atenção emergencial sobre a utilização em escala considerável da planta da Família botânica: Cactaceae (Conquist/...)... do Gênero: Pereskia, da espécie aculeata Mill. Essa planta é considerada uma das mais importantes como alimentícia não convencional, ou seja, pouco divulgada nos últimos tempos, daí seu desuso na atualidade. Entretanto, ainda, é conhecida pela sabedoria popular mais antiga como Ora-pro-nóbis, Carne-de-pobre... e outras denominações. Num breve relato, somente vim a conhecer essa fantástica planta no final das décadas do século XX aqui no Tocantins... isso em 1991... por ocasião de um grande Projeto de Plantas Medicinais do cerrado, ainda em ação, valendo lembrar que somos independentes, sem nenhum patrocinador numa instituição organizada sob a formatação de ONG...Socioambiental Educativa Comunitária... E estamos confiantes que essa planta poderá ser cultivada pela sua grande resistência em manter-se viva com pouquíssima água...e poder enriquecer a alimentação natural de um modo geral. De preferência nos micros programas de municípios onde a carência se acentuar. Não se pode desperdiçar tudo o que for suficiente e satisfatório para povo precisado. Psicopedagoga da ONG OSEC Socioambiental do Tocantins no BRASIL.
[ acessar FICHA: Pereskia aculeata ]
Rosmarinus officinalis
Anderson Porto / RJ (29/07/2016 01:42)
As folhas do alecrim para o tratamento de dispepsia, hipertensão e o reumatismo, em doses de 4 a 6g/dia, como alimento ou em infuso\\ O óleo essencial em doses de 1ml para banhos\\ 2g de folhas frescas (1 colher de sobremesa para cada xícara dágua) em infuso para uso interno em todas as indicações\\ Tintura canforada ou óleos para massagens em dores reumáticas e musculares\\ Como fitocosmético em xus (shoos), loções capilares e dentifrícios em concentrações de 3 a 5.
[ acessar FICHA: Rosmarinus officinalis ]
Costus spicatus
Anderson Porto / RJ (28/07/2016 16:30)
Grato pelas sugestões, Elza!

Bem... O descritor *contra-indicações* já existe. Efeitos-colaterais está previsto mas só que em cos separados, *toxidade* e *sintomas*, pois aprofundam mais o conhecimento.

Para que as informações apareçam nas fichas é necessário que os usuários selecionem o descritor correto, cadastrem as informações e indiquem as fontes.

Abraço!
[ acessar FICHA: Costus spicatus ]
Conheça o projeto



O projeto Tudo Sobre Plantas é um conjunto de ferramentas de pesquisa para ajudá-lo em sua busca por informações sobre espécies nativas e exóticas cultivadas.

Desenvolvemos pesquisas, grupos de estudos, debates, troca de fotos, notícias, plantas e sementes... Tudo isso ao longo de 14 anos de muita determinação e coragem para manter um projeto deste nível, atendendo a visitantes, pesquisadores e curiosos.

Cada um de nós, que gosta de plantas e procura aprender com elas, pode entrar em contato com outras pessoas que possuem os mesmos interesses, formando assim uma rede de conhecimentos distribuídos.

Nosso banco de dados apenas tenta reunir estas informações, passando antes pela observação, análise de informações e inserção na base de dados, com bibliografia pesquisada em livros e sites na Internet.

Tentamos prover fotos para cada espécie cadastrada e nossa meta é catalogar informações de 20 mil espécies com características notáveis.

O que pretendemos é formar novos cultivadores e aprimorar nosso conhecimento sobre plantas.

Por causa da seriedade deste trabalho, este portal é indicado pelos diversos admiradores e parceiros.

Procure se informar sobre o que está sendo feito, conhecendo o Banco de Dados, Grupos de Estudos, Blog e demais ramificações do Tudo Sobre Plantas.

Depois, experimente cadastrar-se e participar do que estamos fazendo.

Seja bem vind@ ao Tudo Sobre Plantas!

Cadastro no Projeto Tudo Sobre Plantas .com.br



:: Blog Tudo Sobre Plantas ::


Comunidade no Facebook
Notícias via Twitter